Avaí apresenta zagueiro Renato e volante Luan

Os jogadores devem ficar à disposição para a partida de sábado, contra o Joinville
A segunda-feira foi de caras novas no Avaí. Nesta manhã, a diretoria apresentou oficialmente o zagueiro Renato e o volante Luan. Ambos estavam no futebol paulista e vinham realizando exames médicos desde o início do mês, mas só agora assinaram contrato. Renato tem 24 anos e defendeu o Ituano no Paulistão. Revelado nas categorias de base do Internacional, o zagueiro ainda acumula passagens por Cruzeiro-RS, Santo Ângelo-RS, São Luiz-RS e Luverdense. Formado na base do São Paulo, Luan tem 27 anos e foi contratado junto ao Red Bull Brasil. Além de ter passado por Santo André, Osasco Audax e Juventude, o volante acumula experiências no futebol europeu - Gil Vecente-POR e Akhisar-TUR. Os dois reforços já se juntaram aos novos companheiros e devem ficar à disposição do técnico Silas Pereira para a partida contra o Joinville, no sábado, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Nesta terça-feira, diante do Bragantino, eles ainda não reúnem condições. Em relação ao time que vai começar a partida em Bragança Paulista, Silas Pereira resolveu poupar dois jogadores devido a sequência de jogos. Assim, os atacantes William Batoré e Tatá ficarão em Florianópolis para terem condições no final de semana. "Vamos manter a base. Um ou outro atleta nós iremos deixar aqui para trabalhar e para descansar. É um momento que precisamos fazer isso, até pelo número de jogos dos atletas", comentou o treinador azzurra. O Avaí deve entrar em campo com: Renan; Renato, André Santos, Gabriel e João Paulo; Jajá, Lucas de Sá e Caio César; Romarinho, Lucas Coelho e Tauã.

Dirigente do Náutico confirma acerto com Yuri Mamute, do Grêmio

O jogador era aguardado em Recife nesta segunda-feira, mas pediu um prazo para resolver questões pessoais

Apesar de ainda não ter assinado contrato, Yuri Mamute já pode ser considerado o novo reforço do Náutico para a sequência do Campeonato Brasileiro da Série B. O atacante, porém, deve ser oficializado apenas nos próximos dias. Mamute será emprestado pelo Grêmio até o fim do ano e era aguardado em Recife nesta segunda-feira para realizar os exames médicos, mas, por conta de questões pessoais, adiou sua apresentação. Como estava no Panathinaikos-GRE, ele só vai poder ser aproveitado por Alexandre Gallo a partir do dia 20 de junho, quando abre novamente a janela de transferências internacionais. "Está tudo acertado. Ele vem por empréstimo do Grêmio até o final do ano. Ele está em Porto Alegre para resolver umas questões pessoais. Pediu um prazo maior, porque chegou da Grécia e tinha algumas situações acumuladas", comentou o diretor de futebol Marcílio Sales.

Fumagalli fala em aposentadoria e reitera desejo de acesso com o Guarani

Fumagalli é um dos 12 jogadores remanescentes da campanha que culminou na eliminação precoce no Campeonato Paulista Faltando pouco mais de um mês para o início do Campeonato Brasileiro da Série C, o Guarani reformula seu elenco, mas segue tendo como líder do grupo de jogadores o meia Fumagalli (foto abaixo). Aos 38 anos, ele já fala em aposentadoria, mas antes quer o acesso à Série B de 2017. Fumagalli é um dos 12 jogadores remanescentes da campanha que culminou na eliminação precoce no Campeonato Paulista da Série A2. Terá novamente a missão de ser o ‘dono’ do meio-campo, mas quer que a diretoria reforce o elenco com novas peças de qualidade. "Estou amadurecendo a ideia de encerrar minha carreira, mas antes disso objetivo é o acesso com o Guarani. Para isso precisamos de um elenco qualificado e principalmente focado”, disse Fumagalli. A partir desta terça-feira, o superintendente de futebol, Rodrigo Pastana, já se reuniu com o técnico Marcelo Chamusca para definir nomes de reforços que possam ser contratados para a Série C. A estreia do time está marcada para o dia 22 de maio, contra o Guaratinguetá, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

Zagueiro Kanu próximo de ser anunciado pelo Vitória

O jogador tenta a rescisão contratual junto ao Vitória de Guimarães-POR O Vitória está muito próximo de anunciar a contratação de um velho conhecido da torcida. Titular na reta final da Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado, o zagueiro Kanu já tem tudo acertado com o Leão, mas precisa conseguir a rescisão contratual junto ao Vitória de Guimarães para ser oficializado pela diretoria rubro-negra. Entre zagueiro e Vitória está tudo acertado, mas as partes precisam correr contra o tempo. Isso porque os clubes brasileiros têm até o fim dessa quarta-feira para contratarem reforços junto ao futebol europeu. Ou seja, Kanu tem dois dias para conseguir a liberação do Vitória Guimarães. Se isso não acontecer, o Leão vai precisar esperar junho , que é quando a janela de transferência volta a ficar aberta - de 20/06 a 19/07. A própria diretoria rubronegra não se mostra confiante em contar com Kanu antes de quarta-feira, mas confirmou que as conversas entre as partes avançaram nos últimos dias. Enquanto isso, Victor Ramos, Guilherme Mattis, Ramon, Vinícius e Josué continuam sendo as opções do técnico Vágner Mancini para o setor defensivo. António Eduardo Pereira dos Santos é natural de Salvador e ganhou o apelido de Kanu em homenagem ao ex-atacante nigeriano Nwankwo Kanu, que passou por Ajax-HOL, Inter de Milão-ITA, Wet Browmich-ING, Portsmouth-ING e se tornou ídolo no Arsenal-ING, onde ficou por cinco temporadas e disputou quase 200 partidas. Aos 31 anos, Kanu se tornou titular na reta final da Série B do ano passado e marcou quatro gols em 16 jogos. O zagueiro acumula Cabofriense, Alecrim, Estrela do Norte, Águia Negra e Ituano, além de ter atuado no futebol português e belga.

Grêmio vence Toluca pela Libertadores

Diante de quase 35 mil pessoas, o Grêmio derrotou o Toluca/MEX na Arena Grêmio por 1x0, e garantiu a vice-liderança do grupo 6 da Libertadores. Com o resultado, o Tricolor Gaúcho pode terminar a primeira fase com uma das melhores campanhas, dando vantagem de decidir as eliminatórias em casa. O gol da vitória foi marcado aos 15 minutos da primeira etapa, quando Luan deu bom passe para Ramiro, que subiu de cabeça e mandou a bola para o fundo das redes, vencendo o goleiro Sánchez. Com o resultado, o Tricolor vai à 11 pontos, permanece na segunda colocação na fase de grupos. Aguarda o adversário das oitavas de final, que será definido na próxima quinta-feira (21).

Destaque contra o Sport, Luciano está fora do Campeonato Pernambucano

Segundo o médico do Salgueiro, o goleiro de 32 anos sofreu uma fratura no osso ulnar do antebraço esquerdo. A previsão é que o Camisa 1 volte ao time na Série C Um dos destaques do Salgueiro na vitória de 1 a 0 contra o Sport, na estreia do Campeonato Pernambucano, o goleiro Luciano vai desfalcar o time na sequência do estadual. Nos minutos finais do confronto de domingo, o camisa 1 dividiu uma bola no alto com Túlio de Melo e terminou fraturando a mão esquerda. O jogador de 32 anos passa por uma cirurgia nesta segunda-feira, no Hospital Regional de Salgueiro. De acordo com o médico do clube, Carlos Frederico de Barros, Luciano só volta a defender o Carcará durante o Campeonato Brasileiro da Série C. – Luciano está fora do Campeonato Pernambucano. Ele teve uma fratura no osso ulnar do antebraço esquerdo. Ele volta tranquilo para Série C. Estamos colocando (a volta) em três meses por causa da função dele. Goleiro tem que ter uma recuperação melhor – explica o médico. Segundo doutor Carlos, a permanência de Luciano em campo poderia ter agravado a lesão. Como o técnico Sérgio China já havia feito as três substituições, o goleiro seguiu na partida até o apito final. – Ele não tinha mais condições de estar ali em campo. Eu, por mim, tinha tirado, mas ele não queria sair, até porque nós não tínhamos mais substituições. Ele quis permanecer, mas sabia que não ia aguentar, tanto que caiu outra vez. Se o Sport tivesse chutado a gol, poderia ter empatado e virado o jogo – afirma. As quedas do goleiro, inclusive, foram alvos de reclamações de Falcão, após o jogo. Segundo o treinador, o árbitro poderia ter sido mais generoso nos acréscimos. – Eles fizeram 1 a 0 e seguraram o jogo… Até acho que os seis minutos de acréscimos foi pouco, mas não vou lamentar tanto isso, porque não fizemos gol em 90 minutos. Um ou dois minutos a mais não iriam fazer tanta diferença. O goleiro também caiu muito. Depois, se levantava e caía mais uma vez – reclamou. Em sua 11ª temporada com a camisa do Salgueiro, Luciano não poderá mais ajudar o time dentro de campo no Pernambucano. Em sua página do Facebook, o goleiro, que em 2015 foi considerado o melhor da posição no estadual, agradeceu as mensagens de apoio que recebeu dos torcedores.

STJD confirma denúncia em caso Iago, e São Paulo pode ser até rebaixado

A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) confirmou nesta sexta-feira denúncia contra o São Paulo por causa da contratação do zagueiro Iago Maidana. O julgamento do caso ainda não tem data marcada, mas o clube tricolor corre risco de sofrer punições pesadas que vão desde a proibição de contratações na próxima janela de transferências até o seu rebaixamento. Além do time tricolor, Criciúma e Monte Cristo-GO, também envolvidos na controversa transferência, podem ser penalizados com as mesmas sanções. O acordo foi fechado ainda durante a gestão de Carlos Miguel Aidar, que renunciou à presidência são-paulina na última terça-feira. Na época, a equipe pagou R$ 2,4 milhões por 60% dos direitos econômicos de Iago Maidana, registrado por somente dois dias no Monte Cristo-GO. Para chegar ao time da terceira divisão goiana, o defensor foi adquirido ao Criciúma por um fundo de investidores chamado Itaquerão Soccer por R$ 800 mil, em situação proibida pela Fifa a partir desta temporada. Após as denúncias, a CBF exigiu que todas as partes envolvidas enviassem documentos da negociação. O caso Iago foi um dos estopins para a crise que se instalou no São Paulo e teve como um de seus desdobramentos a agressão física do então vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro a Aidar, em reunião da diretoria. O cartola acabou sendo exonerado em seguida e viu diversos outros dirigentes seguirem o seu caminho.

A história do Paraná Clube

A história do Paraná Clube é muito bonita, por retratar em sua amplitude, a união. Em 1.989 os dirigentes do Colorado Esporte Clube e do Esporte Clube Pinheiros se reuniram para dar um passo inovador no cenário brasileiro: juntar as forças das duas instituições para formar uma nova e promissora potência. Nasceu assim, o Paraná Clube, um dos mais importantes fatos da recente história do esporte nacional. Essa junção trazia para o futebol o mesmo conceito usado no âmbito dos negócios no mundo todo: as fusões empresariais que unem ex-concorrentes para, juntos, conquistarem ainda mais mercado. Entre os exemplos mais bem-sucedidos estão a Sony Ericsson, internacionalmente, e no Brasil a Ambev. Essa atitude moderna revolucionou o cenário do futebol paranaense. A prova é que, em seus primeiros 10 anos de vida, o Paraná Clube venceu seis vezes o campeonato do estado. A mesma projeção foi rapidamente conseguida em nível nacional. Em apenas 3 anos, o Clube saiu da terceira para a primeira divisão do brasileirão, conquistando durante a trajetória o título nacional da Divisão Intermediária em 1.992, apenas três anos depois da sua fundação. Conquistas importantes que colocam o Paraná entre os maiores clubes do Brasil e das Américas, fato que pode ser comprovado pelas disputas de importantes competições internacionais como a Copa Conmebol, Sulamericana e Libertadores da América, em anos recentes. Nome: Paraná Clube Fundação: 19 de Dezembro de 1.989 Estádios: Durival Britto e Silva (Vila Capanema) e Erton Coelho Queiróz (Vila Olímpica) Endereço: Avenida Presidente Kennedy, 2377, Vila Guaíra, Curitiba/PR, CEP: 80610-010 Fone: (41) 3029-4747 Presidente: Aurival Correia Principais Títulos: Campeão Brasileiro da Segunda Divisão em 1.992 e em 2.000 (Copa João Havelange – Módulo Amarelo). Campeão Paranaense em 1.991, 1.993/94/95/96/97, 2.006. O Início Tudo começou em junho de 1.988, na agência de publicidade do colorado Zeno José Otto, que cuidava da conta de propaganda da firma do pinheirense Waldomiro Perini. Informalmente, o futebol era a pauta das conversas. Até que surgiu a idéia de promover uma pesquisa de mercado, com o objetivo de descobrir o potencial de desenvolvimento da torcida do Pinheiros. A diretoria do clube gostou da sugestão, encomendou o trabalho e, ao receber o resultado, repensou a instituição como um todo. Entre outros dados, a pesquisa revelou que apesar de ter sido finalista dos últimos campeonatos, e de ter ganhado dois deles, o Pinheiros só conseguira reunir um contingente de torcida expressivo dali a 15 ou 20 anos. A partir daquele momento, pinheirenses e colorados começaram a estudar sigilosamente a possibilidade de fusão entre os clubes. Passaram-se alguns dias até que outro publicitário, Ernani Buchmann, então vice-presidente do Colorado, conseguiu realizar a primeira reunião no escritório de Zeno, na avenida Vicente Machado, bairro do Batel. Da parte do Colorado estiveram presentes Darci Piana, do Conselho Deliberativo, Ernani Buchmann e o ex-presidente Dely Macedo. Do lado pinheirense foram os presidentes dos conselhos Deliberativo e Diretor, respectivamente Jorge Celestino Buso e Antonio Carlos Mello Pacheco, acompanhados dos conselheiros Erondy Silvério e Waldomiro Perini. Darci Piana recorda o primeiro encontro. “Diversas questões foram colocadas em discussão, com simplicidade e objetividade. Foi muito interessante”, lembra. O deputado Erondy Silvério também gostou da conversa. “Tudo correu bem e nada ficou decidido. Só um ano e muitas reuniões depois é que as coisas ganharam corpo”, conta. Entusiasmado com a projeção dos acontecimentos, Zeno Otto promoveu uma reunião, algum tempo depois, em uma casa no Parque Barigüi. Reuniu-se o mesmo grupo do primeiro encontro, reforçado de outros influentes personagens, como os colorados Raul e Renato Trombini, além dos pinheirenses Aramis Tissot e Ocimar Bolicenho. Foi a reunião dos 12: seis de cada lado – e Zeno apresentou um estudo inicial com as cores, os símbolos e a camisa do novo clube. O nome Paraná sempre foi unanimidade, já que o Água Verde, antes de tornar-se Pinheiros, e também o Colorado, algum tempo antes, cogitaram utilizar o mesmo nome. Era, portanto, algo comum às duas correntes. A primeira sugestão, a de uma bandeira verde e branca, com as cores do Estado, foi logo descartada, pela semelhança com as cores do Coritiba Fott Ball Club. Mas Zeno e Ernani haviam trabalhados juntos e caprichado na segunda alternativa: cores azul do Pinheiros, vermelho do Colorado e branca comum a ambos; camisa dividida ao meio em azul e vermelho e uma águia dourada no distintivo. Resultado: causou, de imediato, boa impressão a todos. O pinheirense Jorge Celestino Buso gostou da águia. “A águia americana é poderosa, esperta, sagaz, dominadora”, ressalta. Mas, depois do célebre almoço que selou a fusão, acabaram por optar pela gralha-azul, para concretizar a idéia paranista do novo clube, que tem também a Araucária no emblema e o nome Paraná Clube. O famoso almoço aconteceu em setembro de 1.988, no restaurante Veneza, no bairro de Santa Felicidade. Compareceram três representantes de cada facção: Darci Piana, Dely Macedo e Raul Trombini do Colorado, e Jorge Celestino Buso, Aramis Tissot e Ocimar Bolicenho do Pinheiros. Ali foram aprovados o nome, as cores, a camisa, os símbolos e a distribuição patrimonial. Raul Trombini teve que sair antes do final da reunião que se resumiu no histórico guardanapo de papel, o primeiro documento escrito do novo clube. No hino, foram mantidos os slogans dos dois clubes. Nas obras, o brado do Pinheiros: O Poder da Realização; e no futebol, o grito do Colorado: A Alegria do Povo. Para mobilizar a torcida boca-negra ficou definido como local oficial dos jogos o estádio Durival Britto e Silva, e a sede oficial na Avenida Kennedy. E partiu-se daí, para a oficialização do processo. O primeiro teste de aceitação da idéia foi a realização de um jantar no qual foram convidados 50 conselheiros do Colorado e outros 50 do Pinheiros – os mais influentes dos dois lados. Darci Piana e Antonio Carlos Mello Pacheco fizeram uso da palavra e Jorge Celestino Buso, presidente do Conselho Deliberativo do Pinheiros, como anfitrião do encontro, puxou os sentimentos históricos das duas alas e encerrou a reunião em alto astral. Dali em diante, Piana e Buso passaram a reunir-se periodicamente para discussão de todos os detalhes da fusão, e foi criada uma Comissão de Estudos para o estatuto do novo clube. A escritura pública da ata de fusão é de 19 de dezembro de 1.989. Foram mantidos os 49 conselheiros vitalícios do Ferroviário, Britânia e Palestra, oriundos da fusão que deu origem ao Colorado, entre os novos 200 conselheiros do Colorado no ato da fusão com o Pinheiros. Este, que não possuía os vitalícios, criou 46, que somados aos demais 154 nomes, completaram o grande conselho do Paraná Clube com 400 membros. Após seis meses de estudos para a montagem dos estatutos foi escolhida a data da Emancipação Política do Estado do Paraná, para a realização das duas assembléias gerais que decidiram o surgimento oficial do Paraná Clube. Na Vila Capanema, de aproximadamente 600 colorados, apenas dois votaram contrariamente a fusão, enquanto que na sede da Kennedy, de 2.800 pinheirenses, apenas 81 manifestaram-se contra a união. Uma comissão do Colorado, liderada por Darci Piana, presidente do Conselho Deliberativo, deslocou-se da Vila Capanema para a avenida Kennedy, onde foram recebidos pelos pinheirenses no final da assembléia. Mello Pacheco, em gesto de amizade, passou a presidência do Conselho para Piana e verificou-se a ovação de todos, confirmando-se a seguir o nome de Aramis Tissot como primeiro do Conselho Diretor do Paraná Clube. Ficou registrado também, que o Paraná Clube teria dois patronos: Orestes Thá e Durival Britto e Silva Primeira equipe Rubens Minelli, tricampeão brasileiro – 75 e 76 pelo Internacional e 77 pelo São Paulo, foi o primeiro técnico contratado para dirigir o Paraná Clube. Nome bastante respeitado no cenário nacional, trouxe consigo uma qualificada comissão técnica. Com Minelli, veio o auxiliar e treinador de goleiros Valdir de Moraes, famoso goleiro do Palmeiras na década de 60, com diversas passagens pela Seleção Brasileira, tanto como atleta como membro de comissões técnicas. Luiz Carlos Neves foi o responsável pela preparação física do elenco, Francisco Vicente dos Santos como médico, e Moacir Medeiros como massagista. Francisco José Pires, o Chiquinho, era o supervisor. Joaquim Cirino dos Santos foi vice-presidente do departamento de futebol profissional nos dois primeiros anos, enquanto Emerson de Andrade, o Paulista, o diretor de futebol. Rubens Minelli recorda do trabalho inicial de preparação da equipe para seu primeiro campeonato, em 1990. “Foi um momento ao mesmo tempo difícil e gratificante, pois sabíamos do potencial do clube e tratamos de dar o melhor para equacionar o problema de seu elenco. Recebemos cerca de 50 jogadores, vindos do Colorado e do Pinheiros, mesclados entre atletas mais experientes e garotos revelados nas categorias de base”, conta. Em sua primeira tentativa, pelas dificuldades naturais de formar um time competitivo em pouco tempo, Minelli não conseguiu levar o Paraná Clube ao título, mas retornou quatro anos depois para ajudar o tricolor na conquista do bicampeonato. “É, o futebol tem dessas coisas. Fui convidado praticamente para terminar a campanha e encontrei o elenco um tanto desajustado, mas convencido de sua capacidade técnica. Conversamos, acertamos as peças e os resultados apareceram rapidamente, culminando com o título de campeão naquela final com o Londrina, na Vila Olímpica”, relembra o treinador.

Fórmula 1: Hamilton vence fácil na Itália e dispara na liderança; Massa é 3ª

Hamilton foi soberano em todo o fim de semana do GP da Itália O inglês Lewis Hamilton deu um passo decisivo para conquistar o seu terceiro título mundial na Fórmula 1 ao vencer neste domingo o GP da Itália, no circuito de Monza, palco da 12ª das 19 etapas da temporada 2015, além de contar com o abandono do alemão Nico Rosberg, seu companheiro de equipe na Mercedes e principal adversário na luta para ser campeão. Enquanto isso, o brasileiro Felipe Massa voltou ao pódio ao garantir a terceira colocação com a sua Williams. Hamilton foi soberano em todo o fim de semana do GP da Itália, tendo liderado os treinos livres de sexta-feira e assegurado a pole position no último sábado. E, neste domingo, após sustentar a liderança na largada, não foi mais ameaçado, logo abrindo vantagem confortável para os demais concorrentes, sendo o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, quem mais se aproximou, terminando a prova em segundo lugar após ultrapassar o companheiro de equipe Kimi Raikkonen logo na largada, não correndo maiores riscos no restante da prova. Assim, com bastante tranquilidade, Hamilton conquistou a sua terceira vitória em Monza - as outras foram em 2012 e 2014 - e passou a somar 40 triunfos na Fórmula 1, a apenas uma da marca do brasileiro Ayrton Senna. Além disso, ele já venceu sete corridas em 2015. Hamilton agora lidera o Mundial de Pilotos com ainda mais folga, de 53 pontos para Rosberg, que abandonou o GP da Itália por problemas no motor da sua Mercedes, depois de perder várias posições na largada e subir para a terceira posição até o seu abandono. Agora o inglês está com 252 pontos, contra 199 do alemão e os 178 de Vettel. Já Massa fez uma boa corrida em Monza. O brasileiro assumiu o terceiro lugar na largada, mas perdeu uma posição para Rosberg, após o seu pit stop. Depois, porém, retomou a terceira posição com o abandono do alemão e se defendeu bem dos ataques do finlandês Valtteri Bottas, da Williams, para voltar a subir ao pódio em 2015, o que já havia feito no GP da Áustria, em que também foi o terceiro colocado. Com isso, Massa saltou para a quarta posição na classificação no Mundial de Pilotos, com 97 pontos, com cinco a mais do que Raikkonen. Bottas veio logo atrás, em quarto lugar, seguido exatamente de Raikkonen, que fez boa prova de recuperação após ficar com a sua Ferrari parada na largada, caindo para a última posição. Desse modo, ele terminou a prova à frente dos dois carros da Force India, o mexicano Sergio Pérez e o alemão Nico Hulkenberg. Felipe Nasr, o outro brasileiro da Fórmula 1, teve um domingo difícil em Monza, em virtude, principalmente, da necessidade de ir aos boxes logo na primeira volta, após um toque com o venezuelano Pastor Maldonado. Ele, então, terminou o GP da Itália apenas na 14ª colocação. No Mundial de Construtores, a Mercedes continua soberana na liderança, agora com 451 pontos. A Ferrari é a segunda colocada, com 270 pontos, enquanto a Williams ocupa a terceira posição, com 188. A CORRIDA Segundo colocado no treino de classificação, Raikkonen teve problemas na largada, ficando com o carro parado por alguns instantes, o que o levou a cair para o último lugar e também atrapalhou Rosberg que estava atrás no grid, na quarta posição, sendo ultrapassado pelos dois carros da Williams. Massa se aproveitou da situação e fez boa largada, saltando do quinto para o terceiro lugar, atrás de Hamilton e de Vettel. Nasr, que também teve um bom início, saltando para a oitava posição, teve que ir aos boxes logo na primeira volta, em razão de avarias no seu carro, provocadas por um toque com Maldonado, praticamente arruinando a sua corrida. Líder, Hamilton tratou de abrir vantagem confortável para Vettel logo nas primeiras voltas do GP da Itália, situação que não se modificou após os pit stops dos principais pilotos. As mudanças relevantes que se deram envolveram Rosberg, que saltou para o terceiro lugar, recuperando as posições perdidas para os dois carros da Williams. Além disso, com um ritmo forte após o problema na largada, Raikkonen realizou várias ultrapassagens, logo figurando na sétima posição. Na 50ª volta, em uma das poucas disputas efetivas por posição no GP da Itália, Raikkonen ultrapassou o mexicano Sergio Pérez, da Force India, para assegurar o sétimo lugar. Faltando duas voltas para o encerramento da prova em Monza, Rosberg abandonou a corrida por causa de problemas no motor da sua Mercedes. A situação levou Massa a herdar a terceira colocação do GP da Itália. O problema é que o brasileiro era muito pressionado por Bottas, seu companheiro de equipe na Williams. Mas Massa conseguiu suportar a pressão para garantir o terceiro lugar no GP da Itália, indo ao pódio, assim como Hamilton e Vettel, os dois primeiros colocados. Bottas foi o quarto colocado, à frente de Raikkonen, Pérez e Hulkenberg. Já o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull foi o oitavo colocado, com a zona de pontuação do GP da Itália sendo completada pelo sueco Marcus Ericsson, da Sauber, e por Daniil Kvyat, também da Red Bull. O GP de Cingapura será a próxima prova da temporada 2015 da Fórmula 1 e está marcado para o dia 20 de setembro. Confira a classificação final do GP da Itália: 1) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - 53 voltas em 1h18min00s688 2) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 25s0 3) Felipe Massa (BRA/Williams) - a 47s6 4) Valtteri Bottas (FIN/William) - a 47a9 5) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 1min08s8 6) Sergio Perez (MEX/Force India) - a 1min12s7 7) Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - a 1 volta 8) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 1 volta 9) Marcus Ericsson (SUE/Saube) - a 1 volta 10) Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) - a 1 volta 11) Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso) - a 1 volta 12) Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) - a 1 volta 13) Felipe Nasr (BRA/Sauber) - a 1 volta 14) Jenson Button (ING/McLaren) - a 1 volta 15) Will Stevens (ING/Marussia) - a 2 voltas 16) Roberto Merhi (ESP/Manor) - a 2 voltas Não completaram: Nico Rosberg (ALE/Mercedes) Fernando Alonso (ESP/McLaren) Romain Grosjean (FRA/Lotus) Pastor Maldonado (VEN/Lotus)

"Pior time do mundo" vence à la Alemanha e assusta até narrador

Mesmo jogando fora de casa, o Íbis aplicou históricos 8 a 2 no Timbaúba, com quatro de Rogerinho Moicano

Na rádio local, o locutor permanecia incrédulo, implorando o fim do jogo. A torcida, ironicamente, festejava cada jogada dos visitantes, àquela altura, com o jogo já resolvido. O placar, este, já não tinha mais números para registrar o fato ocorrido hoje no Municipal Ferreira Lima, em Timbaúba-PE. Em apenas uma rodada da segunda divisão estadual, o Íbis igualava o feito do Vasco da Gama em 22 rodadas da principal divisão nacional. Na tarde deste domingo, o time aplicava sonoros 8 a 2 no Timbaúba quando o árbitro resolveu encerrar a partida aos 44 do segundo tempo, sem acréscimo, um minuto antes do tempo padrão. Se você perdeu essa história, não se preocupe, pois o Portal Futebol Interior traz ela para você ao lado de um panorama geral da rodada e da competição. ÍBIS SAI NA FRENTE… Pontualmente, às 16h, começava o jogo na Mata Norte Pernambucana, válido pela quarta rodada da primeira fase do Pernambucano Segunda Divisão - Grupo B. Sob um sol escaldante, os 329 torcedores presentes no Ferreira Lima vibravam a saída de bola do Timbaúba ao lado de Elias Pereira, locutor da rádio local. As ações do Morcego da Mata Norte, porém, pararam aí. Desde o início do jogo, o Íbis tomava conta das ações e dava trabalho à defesa local. Não demorou muito e, aos 10 minutos, Samuray chutou forte de longe e Rogerinho Moicano aproveitou o rebote para abrir o placar para o Pássaro Preto. Dez minutos depois, após cobrança de falta, o mesmo Rogerinho ampliava o placarl, tirando a paciência dos torcedores presentes no estádio e fazendo-os cobrar do time mandante. A curto prazo, a pressão parecia ter feito resultado, pois, aos 29 minutos, após cobrança de escanteio, Jordan acertou um lindo voleio no ângulo dos visitantes e diminuiu o placar para o alviverde. A reação, porém, parou naquele momento. Depois dele, só deu Íbis. E, aos 35 minutos, após boa jogada individual, Samuray foi derrubado na área e o árbitro, sem titubear, assinalou pênalti. Ele mesmo foi para a cobrança e converteu, dando números finais ao espetáculo no primeiro tempo: 3 a 1 para o Pássaro Preto que, até o fim da etapa, perdeu, ao menos, mais duas boas chances para ampliar o placar. O time desceu para o intervalo com a vitória parcial, sem imaginar estarem próximos de protagonizar um dia histórico na história do time e do futebol local. ...E ROGERINHO MOICANO DÁ SHOW! Na volta do intervalo, os jogadores do Timbaúba buscavam dar uma resposta à sua torcida e diminuir o placar. Porém, depois de uma pressão inicial, foi o Íbis quem ampliou o placar, aos três minutos. Após uma lambança da zaga do Timbaúba, onde um jogador chutou a bola no próprio companheiro, a bola ficou livre para Sandrinho ampliar o placar. 4 a 1. A partir dali, o Timbaúba se desestabilizou emocionalmente e o Íbis passou a ser senhor das ações do jogo. O quinto gol era questão de tempo e, aos 12 minutos, Rogerinho Moicano ampliou o placar. Após receber bom passe, o camisa 10 do Íbis driblou os zagueiros e o goleiro do Timbaúba para ampliar o placar. A torcida, até então apenas impaciente, passou a jogar contra o time, que esboçou uma reação quando Luís Felipe aproveitou falha da zaga visitante para diminuir o placar aos 24 minutos. Mas, novamente, parou ali. Três minutos depois, demonstrando instabilidade emocional, Mizael fez pênalti bobo em Rogerinho, astro do jogo, e terminou expulso, em decorrência do segundo cartão amarelo. Ele mesmo foi se voluntariou para a cobrança e converteu, fazendo o sexto do pássaro preto. A partir dali, o Pior do Mundo apenas passou a administrar o resultado e a trocar passes em seu campo, se arriscando a ir ao ataque em lances esporádicos. Entregue em campo, o Timbaúba pouco ameaçava. A torcida, naquele ponto, aplaudia e apoiava qualquer investida dos visitantes ao ataque. Numa dessas investidas, aos 34 minutos, Victor recebeu livre e apenas deslocou o goleiro Arlindo para marcar o sétimo. Logo após o gol, uma cena cômica tomou conta do estádio e chamou a atenção de todos os presentes no jogo, inclusive a imprensa e o delegado da Federação. Quando o responsável pelo placar foi trocar o resultado, se deparou com uma falta de placas e precisou improvisar e colocar uma placa em cima de outra para registrar o placar do jogo. A goleada, porém, não pararia por aí e o obrigaria, novamente, a trocar a segunda placar. Aos 43 minutos, Victor saiu na cara de Arlindo e chutou forte, no canto, marcando o seu segundo gol e levando a torcida local, além dos sete torcedores do Íbis presentes no estádio municipal ao delírio. Na rádio, porém, o locutor apenas implorava pelo fim do jogo. E foi atendido. Aos 44 minutos, logo após o gol, o árbitro pôs ponto final à partida que estabeleceu a segunda maior goleada da segunda divisão pernambucana em 2015. A primeira, claro, foi sofrida pelo Íbis, que, para não perder o posto de pior do mundo, levou sonoros 8 a 1 do Olinda, há duas rodadas. OUTROS JOGOS Ainda pela quarta rodada da competição, Flamengo de Arcoverde e Serrano se enfrentaram no Estádio Áureo Bradley, em Arcoverde. No duelo, válido pelo Grupo A, o Tigre Arcoverdense levou a melhor no duelo e venceu seu primeiro jogo na competição. O único gol da partida foi marcado pelo zagueiro Jadison, aos 37 do segundo tempo. O Jumento de Aço continua na lanterna do grupo, sem pontuar. Os outros dois jogos válidos pelo grupo ocorrem amanhã. No Vianão, em Afogados da Ingazeira, o Afogados, terceiro colocado, recebe o Petrolina, vice-líder, às 15h. Em Belo Jardim, no SESC, o líder Belo Jardim recebe o Araripina, quarto colocado, às 15h30. Pelo Grupo B, além do jogo Íbis, tivemos, hoje, mais dois jogos. Em Olinda, no Eugênio Araújo, o líder Olinda venceu o Barreiros por 4 a 1, com gols de Roger, Wanderson, Tarcísio e Deisinho. Lulinha descontou para a Raposa do Litoral, que ocupa, neste momento, o quinto lugar, a frente apenas do Timbaúba, lanterna do grupo. Em Ipojuca, Alan Rocha até colocou o vice-líder Vitória na frente, aos 39 do segundo tempo, mas, aos 46, Sóstenes empatou para o Ipojuca, terceiro colocado, e deu números finais à partida: 1 a 1. PERNAMBUCANO A2 - CONFIRA OS RESULTADOS DA QUARTA RODADA Grupo A - 06/09 - 15:00 - Estádio Áureo Bradley: Flamengo de Arcoverde 1 x 0 Serrano Grupo A - 07/09 - 15:00 - Estádio Vianão: Afogados da Ingazeira x Petrolina Grupo A - 07/09 - 15:30 - Estádio do SESC: Belo Jardim x Araripina Grupo B - 06/09 - 15:00 - Estádio Antônio Dourado: Ipojuca 1 x 1 Vitória Grupo B - 06/09 - 16:00 - Estádio Ferreira Lima: Timbaúba 2 x 8 Íbis Grupo B - 06/09 - 16:00 - Estádio Eugênio Araújo: Olinda 4 x 1 Barreiros

Túlio Maravilha acerta com time da segunda divisão de Sergipe

O ex-jogador insiste em continuar jogando em torneios de pouca expressão Alguns jogadores não admitem o fim da carreira e muitos dirigentes ainda buscam em contratações midiáticas uma força de conquistar um espaço para seu clube. Pensando assim, o ex-jogador, que insiste em continuar jogando, Túlio Maravilha e o Força Jovem, equipe do interior de Sergipe, formalizaram um acordo e Túlio está sendo anunciado como "reforço" do time para as disputas do Campeonato Sergipano da A2, que começará na próxima semana. Sem nenhuma tradição no futebol sergipano e com menos de dez anos de atividade, o Força Jovem quer entrar na competição pensando no acesso e o treinador será Rony Araújo, conhecido no Nordeste e que já chegou a comandar interinamente o Icasa-CE em jogos do Campeonato Brasileiro. O próprio Túlio Maravilha aproveitou as mídias sociais para informar seu acerto com esta equipe que é da cidade de Aquidabã, no interior de Sergipe. Mas Túlio não será um jogador constante, já que fará apenas algumas partidas, sendo sua estreia programada para o dia 19 de setembro, na segunda rodada da competição, contra o Dorense, no estádio Manecão, em Aquidabã. A cidade de Aquidabã fica a cerca de 100 km da capital Aracaju e tem pouco mais de 50 mil habitantes. Com 46 anos, Túlio Maravilha é um jogador folclórico e que garante ter marcado mais de 1.000 gols na carreira. O melhor momento de Túlio foi no Botafogo-RJ, onde conquistou títulos e chegou a jogar na Seleção Brasileira. Também vestiu a camisas de grandes times como Corinthians, Cruzeiro-MG, Fluminense-RJ, entre outros. Nos últimos anos vem tentando manter-se na mídia vestindo a camisa de times sem qualquer expressão no futebol brasileiro e em 2012 fez algo semelhante com o que fará agora em Sergipe, no interior paulista, jogando no Tanabi, onde não foi bem. Campeonato Sergipano da A2 1ª Rodada - 12/09 Cotinguiba x Independente Sete de Julho x Olímpico Maruiense x Força Jovem Dorense x Aracaju América x Propriá Canindé x Guarany

Blatter prepara golpe para continuar no poder, diz jornal suíço

O cartola estaria pronto para rever sua posição depois que recebeu "dezenas de mensagens de apoio" de delegações africanas e asiáticas
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, estaria repensando sua decisão de renunciar ao cargo máximo do futebol. Segundo o jornal suíço Schweiz am Sonntag, o cartola estaria pronto para rever sua posição depois que recebeu "dezenas de mensagens de apoio" de delegações africanas e asiáticas. Segundo uma fonte consultada pelo jornal e próxima do dirigente, Blatter estaria pensando numa reviravolta e que, no dia 20 de julho, poderia anunciar sua decisão diante do Comitê Executivo da Fifa, convocada por ele mesmo. Quatro dias depois de sua vitória nas eleições de 29 de maio, Blatter anunciou que entregaria seu cargo, em eleições que ele mesmo convocaria. Acuado e pressionado por patrocinadores diante da possibilidade de uma prisão, ele anunciou a mudança radical. Mas em nenhum momento ele mencionou a palavra "renúncia" e, como a reportagem revelou com exclusividade no fim de semana passado, sua manobra tinha como meta reduzir a pressão sobre ele e preparar um sucessor. Agora, o jornal suíço indica que Blatter já teria dito a pessoas próximas a ele que tem a intenção de continuar. Ele teria construído uma série de alianças com africanos e asiáticos que, juntos, o manteriam no poder. Na esperança de limpar e criar novas condições para se manter no poder, ele teria até mesmo demitido seu diretor de Comunicação, Walter de Gregorio, visto como peça central no poder de Blatter. IMPACTO A revelação dos suíços causou um terremoto no mundo do futebol, inclusive diante da determinação de parte de políticos e dirigentes de que Blatter deixe imediatamente o poder. Na semana passada, o Parlamento Europeu adotou uma resolução justamente neste sentido. Mesmo dentro da Fifa, o homem que está conduzindo as reformas da entidade, Domenico Scala, defende que Blatter deixe o poder. "Para mim, as reformas são centrais", disse em um comunicado. "Isso é o motivo pelo qual e acho que é indispensável que se cumpra o processo iniciado de mudança de presidente que foi anunciada", completou.

Ponte Preta 0 x 0 Goiás - Macaca decepciona em reencontro com a torcida

Macaca até criou chances de gol, mas não conseguiu furar o bloqueio defensivo do Esmeraldino
A Ponte Preta decepcionou os torcedores que compareceram ao estádio Moisés Lucarelli na manhã deste domingo. Diante do Goiás, o time de Campinas não conseguiu furar o bloqueio defensivo e empatou por 0 a 0, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Tiago Cardoso inicia trabalho de transição no Arruda

Recuperando-se de uma lesão no joelho direito, o goleiro Tiago Cardoso finalmente deixou o departamento médico e foi liberado para a fase de transição. Ainda sem prazo definido para ficar à disposição do técnico Ricardinho, o camisa 1 tem trabalhado com o preparador de goleiros do clube, Bosco. E a volta do goleiro pode acontecer ainda no Campeonato Pernambucano. “Tiago está liberado do DM e está na transição. Ele tem uma força de vontade grande e vem tendo uma recuperação boa. Não vou dizer que daqui para o final do Pernambucano ele estará jogando , até porque não é função minha colocá-lo para jogar. Mas acredito sim que ele possa ficar apto para voltar até a final do Estadual. Para o Brasileiro ele estaria pronto com certeza”, frisou o médico coral, José Carlos Cordeiro. Tiago se contundiu na Série B do ano passado, no jogo contra o Avaí, pela penúltima rodada do torneio. O atleta teve uma lesão parcial no ligamento posterior do joelho direito e o tempo previsto para o retorno aos gramados era de três meses. Desde então, a torcida coral precisou se acostumar a ter outro camisa 1 no Estadual. Primeiro, foi Bruno quem ganhou a vaga do paredão coral. Com exibições questionadas, o goleiro perdeu espaço para Fred, atual titular.

A primeira decisão de 2015

O momento conturbado da primeira fase da Copa do Nordeste já passou. Mas é somente agora que o Sport, depois de terminar na primeira posição do Grupo B, terá a primeira decisão de verdade na temporada 2015. E o duelo de 180 minutos colocará dois ‘leões’ frente a frente: o pernambucano e o cearense. Nesta noite, na Arena Castelão, o Fortaleza recebe o Rubro-negro pelo primeiro jogo das quartas de final do Nordestão. Do lado vermelho e preto, precaução é a palavra de ordem. O técnico Eduardo Baptista não só não confirmou a escalação, como também fechou parte do último treino. Tudo para não fornecer munição ao rival. Ainda que tenha feito mistério sobre o time que vai mandar a campo, o comandante rubro-negro não deve fazer mudanças severas na equipe. A ideia é seguir jogando no 4-5-1, com dois volantes e três meias, deixando apenas um atacante. Como Felipe Azevedo se machucou e Samuel acaba de se recuperar de lesão, Joelinton deve ser o homem de área. No entanto, há outra possibilidade em aberto. Graças às últimas boas atuações de Wendel, o volante pode pintar entre os titulares. Caso isso aconteça, a estrutura tática seria alterada, pois o cabeça de área entraria no lugar do centroavante, deixando Diego Souza como homem de referência. “As situações já estão definidas na minha cabeça. Nós testamos duas formações, uma com Wendel e outra sem ele, e as duas são boas, mas só amanhã (hoje) vou decidir. Quero ainda estudar um pouco mais o Fortaleza e escolher o que vou usar”, limitou-se a dizer Eduardo Baptista, dando a entender que Wendel deve mesmo entrar em campo, mesmo que não comece jogando. O próprio volante reconheceu o seu bom momento. “Venho trabalhando para entrar, ter uma oportunidade e uma sequência no time. Todo mundo teve oportunidade aqui e eu procurei aproveitar a minha da melhor maneira possível”, avaliou. Segundo Baptista, não é a escalação que será determinante para o rendimento do time, mas sim a postura da equipe dentro de campo. Apesar do pouco tempo de carreira, o treinador tem uma certa experiência em mata-matas e parece saber um pouco da receita do êxito nesse sistema de disputa. “Temos que jogar de maneira inteligente, saber marcar e ser agressivo. Um GOL fora é importante e também não tomar é importante. Muda a competição, o estilo é diferente e temos que saber jogar”, analisou o treinador, que rechaçou um provável favoritismo do Leão. “O Sport vai para um jogo de mata-mata fora de casa e não tem favorito. O favorito é o que ganhar nos 180 minutos”, sentenciou. FORTALEZA – A exemplo do Sport, o Fortaleza também realizou um treinamento com portões fechados. Para o confronto diante dos rubro-negros, o técnico Marcelo Chamusca não poderá contar com o volante Vinícius Hess, suspenso. Assim, Auremir (ex-Náutico) deve assumir o posto deixado em aberto na cabeça de área. Ficha do jogo Fortaleza Deola; Tinga, Lima, Adalberto e Wanderson; Auremir, Pio, Corrêa, Maranhão e Éverton; Lúcio Maranhão. Técnico: Marcelo Chamusca Sport Magrão; Vítor, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha, Mike, Diego Souza e Élber; Joelinton (Wendel). Técnico: Eduardo Baptista Local: Arena Castelão (Fortaleza) Hora: 22h Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL). Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Lorival Cândido das Flores (RN). Transmissão: Esporte Interativo e Rede Globo

Clubes decretam fim dos altos salários para treinadores

O Fluminense mandou Cristóvão Borges embora e aproveitou para economizar. Mesmo diante das críticas da torcida, optou por contratar um treinador que aceitasse um salário menor que o antecessor, Ricardo Drubscky. Seguiu o caminho de dois outros clubes cariocas, Vasco e Botafogo, que também preferiram treinadores baratos a figurões que exigem altos salários. Santos e Internacional fizeram a mesma coisa. Com clubes endividados e com uma medida provisória de refinanciamento dos débitos que exigirá boas práticas de gestão batendo às portas, os dirigentes começam a colocar os pés no chão. Perceberam ser preciso gastar menos. E um dos primeiros passos dessa nova realidade está sendo a redução dos salários dos treinadores. Os dias em que os técnicos recebiam salários de R$ 500 mil, R$ 600 mil e até mais parecem contados. Aos 55 anos e sem experiência em times do eixo Rio-São Paulo, Drubscky assumiu o Fluminense após ter assinado contrato que lhe garante salário de R$ 180 mil mensais. É um valor R$ 70 mil menor do que ganhava Cristóvão Borges. E não adianta nem a torcida chiar, como fez nesta terça-feira, no primeiro treino que o treinador comandou nas Laranjeiras. O presidente do time carioca, Peter Siemsen, já avisou que não vai contratar mais “treinadores caros”. “O Ricardo foi uma escolha da nossa área técnica, mas, por outro lado, é preciso levar em consideração que o Fluminense vai aderir em breve ao parcelamento da dívida com o governo. Temos de nos adequar para o futuro”, disse. Recentemente, o Fluminense perdeu um patrocinador que por mais de uma década despejou dinheiro a rodo no futebol do clube. Ou seja, de uma hora para outra, o time “empobreceu”. E precisa saber conviver com a nova realidade. “Precisamos ser comedidos nos gastos para podermos fazer essa transição de forma segura. Em um primeiro momento, teremos de limitar o INVESTIMENTO para sairmos forte dessa transição. Entendemos que era importante escolher um técnico com o perfil que se encaixasse dentro desse nosso desejo.” Siemsen até tentou contratar outro treinador. Mas Ney Franco, que era o preferido, pediu R$ 260 mil por mês e Argel Fucks teria exigido R$ 200 mil. O Flu ficou com a opção mais em conta. GRATIFICAÇÃO – Também em situação financeira delicada – o pagamento dos direitos de imagem dos atletas, por exemplo, estão atrasados -, o Santos radicalizou. Mesmo com o time invicto no Campeonato Paulista, dispensou os trabalhos de Enderson Moreira, que ganhava R$ 180 mil mensais e havia reclamado dos atrasos de pagamento, e simplesmente efetivou Márcio Fernandes, funcionário do clube com vencimentos de R$ 10 mil em carteira. Fez mais: em vez de aumentar o salário do novo treinador, optou por pagar gratificações mensais (valor não revelado). O mesmo recurso está sendo utilizado para remunerar os dois auxiliares de Fernandes, Serginho Chulapa e Edinho, igualmente assalariados do clube. Na prática, Fernandes e seus parceiros vão ver mais dinheiro entrar na conta enquanto estiverem em seus cargos de comando do time principal. Se caírem, voltam a receber o descrito em carteira. “Se o Santos contratar um novo treinador no futuro, os três vão voltar a fazer parte da comissão técnica do clube e perdem o direito de receber a gratificação”, explicou o presidente Modesto Roma Júnior. O dirigente até tentou contratar um treinador de nome. Mas Dorival Junior manteve-se irredutível na pedida de R$ 300 mil mensais e simplesmente foi preterido. Outros dois clubes cariocas também decidiram economizar na contratação de treinadores para esta temporada. Rebaixado à Série B do Brasileiro e quase na bancarrota, o Botafogo não renovou com Vagner Mancini, que tinha direito por contrato a R$ 150 mil mensais, e reabilitou René Simões, que até então vinha trabalhando como comentarista de uma emissora de TV a cabo. Salário: R$ 60 mil. É parte da política saneadora da nova diretoria. René não reclama. Ao contrário, encara a situação sem rodeios. “Eu não estou ganhando mal, estou ganhando muito bem. O futebol brasileiro é que estava fora da realidade”, disse ao ser apresentado. Figura carimbada no futebol, Eurico Miranda voltou a reinar no Vasco depois de alguns anos de afastamento e uma de suas primeiras decisões ao assumir, em dezembro passado, foi limitar o salário do treinador da equipe a R$ 100 mil. “O clube passa por uma situação difícil e não tem sentido pagar salários absurdos.” Decisão tomada, mandou um emissário à casa de Joel Santana – assumira o time em setembro passado em troca de um “soldo” de R$ 200 mil -, comunicar-lhe que estava demitido. Joel esperneou, disse que se sentia injustiçado pela “paga” que estava recebendo por trazer a equipe de volta à Série A, mas não adiantou. Está vendo o Vasco pela televisão. Até mesmo o Internacional está conseguindo economizar um dinheirinho com o treinador. Paga entre R$ 300 mil e R$ 500 mil ao uruguaio Diego Aguirre, que ainda não superou a desconfiança da torcida e tem o trabalho questionado também pelo ganha – há quem veja desvantagem para o clube na relação custo-benefício representada por Aguirre. Mas o clube está gastando menos que no ano passado. O treinador anterior, Abel Braga, embolsava R$ 550 mil a cada 30 dias de trabalho. O uruguaio chegou ao Inter no fim de dezembro e desde então vive na corda bamba. O presidente do clube, Vitório Píffero, garante que ele fica pelo menos até o fim do ano. Mas, se mudar de ideia de uma coisa já avisou que não abrirá mão: pagar salário considerado realista ao treinador que vier. Salários milionários entende, são parte do passado.

Magrão não vê favoritismo rubro-negro contra o Fortaleza

Analisando o momento do Sport, que terminou em primeiro em sua chave na Copa do Nordeste , além de ser o atual campeão do torneio , seria compreensível apontar os comandados do técnico Eduardo Baptista como favoritos para o duelo diante do Fortaleza, pelas quartas de final do Nordestão. Mas essa teoria não é seguida pelo goleiro Magrão. “Não tem favorito. É um clássico regional e o Fortaleza também terá um jogo em seus domínios”, citou o goleiro, declarando em seguida que o jogadores do Sport já estão acostumados com a pressão pelo resultado. “Estamos prontos para encarar a pressão que a torcida deels vai colocar (o primeiro jogo da decisão será no Castelão). Será um jogo de 180 minutos e sabemos da importância que um resultado bom lá teria para o jogo na Ilha”, completou. O primeiro confronto entre os leões pernambucano e cearense será nesta quarta (25), às 22h, na Copa do Nordeste. A partida de volta será no domingo (29), às 16h, na Ilha do Retiro. O vencedor desse mata-mata encontrará nas semifinais o ganhador do embate entre Bahia x Campinense.

Jogadores do Náutico repercutem protesto no CT

Depois do protesto dos torcedores do Náutico no treino da última terça (24), no CT Wilson Campos, cobrando melhores resultados da equipe, os jogadores do clube falaram pela primeira vez sobre o caso. O volante João Ananias e o atacante Stéfano Yuri preferiram adotar o discurso político, declarando que a cobrança foi “pacífica” e “normal”. “Foi uma cobrança pacífica, normal do torcedor. Entendemos bem a mensagem que eles queriam passar. Não foi a primeira vez que presenciei isso. No Santos também teve algo parecido. É normal torcedor cobrar”, afirmou o atacante. O jogador também comentou sobre uma conversa que o grupo teve em particular com o técnico Lisca. “Foi normal, apenas para passar confiança. Lisca é um treinador excepcional, sempre querendo mehorar. Não só ele como o Kuki, que é ídolo do clube e quer o nosso bem. Foi uma cobrança boa, para nos ajudara evoluir”. Ananias manteve o mesmo discurso do companheiro, mas não escondeu que se assustou com a chegada dos torcedores no meio do treinamento. “Fiquei assustado um pouco porque eles entraram em campo. Ficamos chateados porque eles entraram no nosso local de treinamento. Ali não deveria ficar torcedor, só jogador. Mas a conversa foi de forma pacífica, sem discussão. Pela situação que estamos passando é até válido porque sabemos que as coisas só vão mudar com as vitórias”, destacou.

Acordo entre Sport e Régis deve ser fechado nesta quarta-feira

A situação envolvendo o meia Régis, ainda da Chapecoense, com o Sport está praticamente definida e o jogador deve ser anunciado oficialmente nos próximos dias. O grande problema envolvendo as duas partes é o contrato, ou melhor, os contratos que precisam ser assinados para firmar o negócio. Como Régis tem muitos investidores cuidando de seus direitos econômicos, a negociação é um pouco mais complicada. O vice-presidente do Leão, Arnaldo Barros, afirmou que o meia está fechado com o clube e que faltam apenas as assinaturas dos pouco mais de sete contratos envolvendo as partes envolvidas. “Eu posso garantir que toda a parte financeira de buscar recursos e acertar valores com a Chapecoense já foi vencida com sucesso. Chegamos a um denominador comum quanto as pretensões dos investidores e a do Sport”, comentou em entrevista “São pouco mais de sete contratos com cláusulas diferentes, cada clube querendo resguardar o seu direito para que não haja conflitos e estamos terminando de analisar esses contratos”, garantiu. Apesar do imbróglio, o meia deve ser apresentado ainda nesta semana, se possível, já na próxima quarta-feira. “O acerto deve ser anunciado na próxima quarta-feira”, falou Arnaldo. Já o lateral-direito Victor Ferraz, do Coritiba, está emperrada já que o atleta recebeu outras propostas de clubes distintos e está avaliando a melhor para cravar a sua saída do Coxa. Caso não venha, Arnaldo disse que o Sport já está trabalhando com outros nomes.”O Sport não está parado e estamos buscando outros nomes também. Queremos contratar mais quatro jogadores e a torcida pode esperar por bons nomes nos próximos dias”, encerrou.

Dívida com ex-zagueiro leva patrimônio do Náutico a leilão

A Justiça do Trabalho determinou que o patrimônio do Náutico seja levado a leilão por causa de uma dívida trabalhista do clube com o zagueiro Luiz Cláudio que defendeu o Timbu em 2009. A dívida trabalhista com o defensor era no valor de R$150 mil, mas em fevereiro de 2012. Agora o valor terá uma correção de dois anos, referente a fevereiro de 2012 até fevereiro de 2014. A sede do clube, a quadra e o parque aquático serão levadas ao leilão que já tem data marcada para acontecer. A primeira será no dia sete de julho, sendo R$ 80 milhões o valor inicial, com arremate mínimo de R$ 40 milhões. Se não houver compradores, um novo leilão acontecerá no dia 21 do mesmo mês, mas com arremate mínimo de R$ 24 milhões. O advogado do clube informou ao repórter Wellington Araújo das Rádios Jornal e JC News que vai tentar entrar em um acordo com a Justiça do Trabalho e que a torcida alvirrubra pode ficar tranquila quanto ao caso. Time Fora dos bastidores o Náutico se preocupa para montar o time quando a Série B do Campeonato Brasileiro retornar após o final da Copa do Mundo. O técnico Sidney Moraes retornou de São Paulo e vai se reunir com a diretoria nos próximos dias para definir quantos jogadores serão contratados para a sequência da temporada. O diretor de futebol do clube, Paulo Henrique Guerra, disse que novos nomes deverão ser anunciados nos próximos dias. “Vamos nos reunir com o Sidney e os demais da diretoria para colocar em pauta algumas coisas que estávamos trabalhando para ver se tem alguma algo definido”, falou à Rádio JC News. Outro assunto abordado com o diretor, foi a respeito da saída do agora ex-gerente de futebol do clube, Lúcio Surubim. De acordo com Paulo Henrique, o ex integrante da diretoria estava acumulando diversas funções no clube, o que atrapalhou o seu trabalho. Apesar disso, Paulo avaliou bem o trabalho de Lúcio no Náutico. “O Lúcio foi atrapalhado pelas múltiplas funções que acumulou no clube e isso prejudicou a principal função dele aqui. Ele é um profissional que age com muita transparência e está saindo pela porta da frente. Agradecemos pelo empenho e a determinação que teve à frente do Náutico”, afirmou. Carlos Kila de volta Quem assume a gerência de futebol do Timbu é Carlos Antônio Kila, que teve uma boa passagem pelos Aflitos em 2011 e 2012. A sua saída, em 2013, se deu por causa da chegada de Daniel Freitas, que assumiria como superintendente de futebol. Com isso, Kila perdeu bastante espaço no clube e resolveu sair. O Criciúma foi o clube no qual trabalhou pela última vez antes de acertar o seu retorno ao Timbu.

Santa Cruz: Bileu deve ser apresentado nesta quarta-feira

A diretoria do Santa Cruz confirmou que o volante Bileu ex-Sport, deve ser apresentado nesta quarta-feira. O jogador acertou a sua ida ao Arruda na última semana, mas como precisa resolver pendências com o clube detentor do seu passe, não foi apresentado antes. O diretor de futebol do Santa, Constantino Junior, falou em entrevista à Rádio JC News sobre a situação do atleta. “O Bileu acertou a sua saída do Sport e foi ao Rio de Janeiro resolver problemas com o Vila Rio, clube que tem os direitos dele. O Vila vai fazer o empréstimo ao Santa e ele deve ser apresentado na próxima quarta-feira”, afirmou. Sobre novas contratações Tininho disse que o Tricolor ainda deve trazer mais um zagueiro, muito por conta da não renovação de contrato com o zagueiro Vágner. “Estamos de olho no mercado, avaliando com bastante cuidado. Queremos mais um zagueiro”, comentou. O Santa Cruz ainda vai aproveitar essa parada da Série B por causa da Copa, para fazer uma mini pré-temporada em alguma cidade do interior pernambucano. O diretor ainda não confirmou em qual cidade será. “Depois dos festejos juninos nós vamos para alguma cidade do interior, mas ainda vamos definir em qual iremos ficar. Estamos entre Chã Grande, Caruaru e Gravatá”, encerrou.

Comida vencida afeta funcionários na Arena Pernambuco

A Fifa foi notificada pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, a Apevisa, pelo fato de 320 quilos de comidas estragadas terem sido encontradas na Arena Pernambucano. No total, 36 pessoas passaram mal após se alimentarem com feijão, farofa, salada e pudim estragados servidos aos funcionários e voluntários do estádio. Seis trabalhadores da Arena tiveram diarreia e 36 voluntários passaram por atendimento médico no estádio e a Secretária de Saúde de Pernambuco está estudando o caso. A comida é distribuída por uma empresa terceirizada localizada em Campinas. Segundo a Apevisa, a empresa também será notificada e o problema teria acontecido em outras sedes que a empresa fornece alimentação também. "Irregularidades foram encontradas na cozinha central da Arena, mas não foi só aqui. Curitiba, Fortaleza, Cuiabá e Belo Horizonte, que trabalham com o mesmo fornecedor, também tiveram problemas. Tudo irá ser normalizado para o próximo jogo", disse Ivette Buril, secretária de saúde de Pernambuco. "Essas análises são feitas rotineiramente, justamente para evitar grandes problemas. Tudo irá se normalizar no próximo jogo." Fonte: Agência Estado

Massa diz que problema em primeiro pit-stop acabou com chances de pódio: “Não sei o que aconteceu ali”

Largando da pole-position, Felipe Massa afirmou que a parada lenta nos boxes acabou prejudicando um pódio possível na Áustria. O brasileiro acabou apenas em quarto
O final de semana estava promissor para Felipe Massa. Largando da pole-position neste domingo (22), o brasileiro estava confiante para fazer uma boa prova. Porém, um problema em sua primeira parada acabou tirando suas chances de subir ao pódio. Já na largada, Felipe conseguiu manter o bom ritmo e permanecer na ponta do pelotão, e permaneceu lá até a primeira janela de pit-stops. Foi então que, chamado pela Williams apenas após as duas Mercedes já terem trocado os pneus, e com uma parada consideravelmente mais lenta que a dos rivais, sua corrida estava comprometida. Para Massa, este foi o momento crítico de sua prova e que acabou influenciando o resultado de seu final de semana. “O meu problema foi na primeira parada, não sei o que aconteceu ali. O Hamilton estava próximo de mim e acabou me ultrapassando. Ali foi onde perdi a chance de subir ao pódio, foi o momento problemático da minha corrida”, disse. “Terminar na frente das Mercedes não seria fácil, mas chegar ao pódio era possível. Aquilo então foi o momento chave da corrida para mim, já que nessa pista a ultrapassagem é difícil”, completou. Mas Felipe manteve o espírito de equipe, mesmo com sua quarta colocação, e parabenizou a Williams pelo pódio alcançado por Valtteri Bottas, o terceiro. “Foi assim que aconteceu, mas estou feliz pela equipe e com tudo o que a gente fez hoje." Era previsto que, em algum momento da prova, as Mercedes mostrariam o que têm de melhor neste ano e aparecessem em primeiro e segundo, mesmo com o desempenho espantoso da Williams. Até que demorou para isso acontecer: as duas paradas nos pits. Só então que Nico Rosberg e Lewis Hamilton tiveram vida livre para completar a dobradinha na Áustria, e nesta ordem. E Massa? Bem, Massa largou bem, completou a primeira volta em primeiro e liderava a corrida diante de Valtteri Bottas até a primeira parada. Daí, dois erros — mas da Williams: primeiro, ter esperado que a Mercedes fizesse sua parada antes; segundo, ter demorado um tanto a mais que os rivais no trabalho dos mecânicos em si. Já de cara, Felipe apareceu em quarto após a primeira troca de pneus. Lá ficou até o resto da prova, até distante de seu companheiro.

Turcos confirmam venda de Mouche ao Palmeiras; jogador comemora com 'avanti, Palestra'

Novo reforço do Palmeiras, o argentino Pablo Mouche comemorou em seu Twitter o acerto com a equipe alviverde. No microblog, o ex-jogador do Boca Juniors postou: "avanti, Palestra!".
Novo reforço do Palmeiras, o argentino Pablo Mouche comemorou em seu Twitter o acerto com a equipe alviverde. No microblog, o ex-jogador do Boca Juniors postou: "avanti, Palestra!". O ESPN.com.br apurou que o atleta fechou com o clube nesta semana, em transação de R$ 9 milhões e de cinco anos de duração. O atacante, que estava no Kayserispor (TUR), chegou ao Brasil no início da tarde deste domingo para fazer exames médicos e assinar contrato. A informação foi confirmada pelos turcos em seu site oficial e também por fontes ligadas à diretoria alviverde. O atleta de 26 anos está em São Paulo para os últimos acertos de seu contrato com o time do Palestra Itália e a expectativa é que seja anunciado oficialmente o quanto antes como novo reforço do clube alviverde para a temporada. Mouche desembarcou no aeroporto de Guarulhos por volta das 15h, fez compras no Duty Free, foi recebido por um funcionário do Palmeiras e seguiu para um hotel na zona sul paulista. A reportagem apurou que Mouche dorme em São Paulo neste domingo para assinar o contrato e realizar os exames médicos. O jogador, inclusive, já foi presenteado com uma camisa do clube por membros da diretoria. O vínculo vai ter duração de cinco anos e vai custar R$ 9 milhões, que vão ser desembolsados por investidores acordados pelo presidente Paulo Nobre. O atacante foi um pedido do técnico Ricardo Gareca. Em contato, o diretor José Carlos Brunoro afirmou que só confirma o reforço quando o atleta assinar contrato. "Só confirmamos quando tudo estiver assinado, com a assinatura no papel", disse o dirigente. Horas antes, também no Twitter, Mouche já havia demonstrado alegria ao comentar que estava "muito feliz". O atleta estava atualmente no Kayserispor, da Turquia, e também passou por Boca Juniors, Arsenal de Sarandí e Estudiantes.

Na Copa, deputados federais tiram 'férias' em Brasília

Nos dias de jogos do Brasil, a Câmara dos deputados, em Brasília, para como praticamente todo o país. Mas, no resto da Copa, o país trabalha, e os representantes do povo nem tanto...
Nos dias de jogos do Brasil, a Câmara dos deputados, em Brasília, para como praticamente todo o país. Mas, no resto da Copa, o país trabalha, e os representantes do povo nem tanto. Desde que o Mundial começou, no último dia 12, foram marcadas quatro sessões de trabalho na Câmara, que hoje tem 513 deputados. Duas delas acabaram de forma melancólica. No dia 13, que já teve um grande clássico, Espanha x Holanda, às 16h, em Salvador, a sessão foi marcada para a manhã. Às 9h, o presidente da sessão, segundo as notas taquigráficas da Câmara, alegou que não havia quórum suficiente para a abertura da sessão. Deu um prazo de 30 minutos para a chegada de mais colegas. Às 9h30, nova tentativa, mas sem sucesso. "Tendo persistido a falta de número regimental para a abertura da sessão, declaro que ela deixa de ser realizada e convoco outra para a próxima segunda-feira, dia 16 de junho, às 14 horas", decretou o deputado Izalci Lucas Ferreira, que comandava a sessão. Até este domingo, o site da Câmara não havia publicado a lista de presença dos deputados nas sessões que já aconteceram depois do início da Copa. Mas as notas taquigráficas, que são o relato fiel do que acontece na casa, da sessão do último dia 18, data de Espanha x Chile e Holanda x Austrália, mostram clima de férias dos deputados. Naquele dia, a sessão estava marcada para as 14h. E acabou em minutos, segundo relato do deputado Átila Lins. "Estando no plenário da Casa apenas o Deputado Renato Simões, do PT de São Paulo, o Deputado Afonso Florence, do PT da Bahia, e o Deputado que preside eventualmente, Deputado Átila Lins, do PSD do Amazonas, portanto, tendo persistido a falta de número regimental para a abertura da sessão, declaro que ela deixa de ser realizada e convoco Sessão Não Deliberativa de Debates para a próxima sexta-feira, dia 20 de junho, às 9 horas." Isso mesmo: dos 513 deputados federais, só 3, ou menos de 1% da casa, estavam no plenário no momento em que a bola rolava no Mundial. No dia 20, no horário marcado teve sessão. Mas apenas para debates e discursos. E o trabalho foi encerrado às 11h38, a tempo de todos estarem livres para o início da rodada do Mundial, pontualmente às 13h.

Esperando pela tragédia

"Liberados" pelo poder público, vândalos que fizeram arruaça nas ruas do Recife estarão na Ilha do Retiro na quarta-feira
Todos os protagonistas das cenas de selvageria do pós-Clássico entre Sport e Santa Cruz da última quinta-feira estão impunes. Livres para, na próxima quarta-feira, irem novamente à Ilha do Retiro jogar pedras uns nos outros e em quem não tem nada a ver com a rixa deles. Livres para quebrar ônibus, carros, lojas. Transformar o Centro ou qualquer parte da cidade em território de guerra. Livres até que uma tragédia aconteça. A sensação de impunidade é tanta que você, leitor, certamente tem a impressão de já ter lido esse texto alguma vez. Mais de uma vez, aliás. E leu. Com outras palavras, mas que talvez fizessem referência aos mesmos personagens. Impunidade reconhecida até mesmo por aqueles que têm como missão trazer a segurança em dias como a última quinta-feira. Apenas dez pessoas foram detidas pelas cenas de selvageira registradas em pontos como Derby, Avenida Conde da Boa Vista e Cais de Santa Rita. Todas já foram liberadas. “A polícia fez várias detenções de grupos grandes, mas não há como conseguir elementos suficientes para conduzir todos eles para a delegacia. Muitas vezes as vítimas não se apresentam, com medo, ou fogem porque também estavam participando da baderna. Também não se pode pegar pessoas que estavam no meio do vandalismo e deduzir que elas fizeram parte daquilo, sem imagens ou provas. A maioria das pessoas que foram levadas à delegacia foram por desacato à autoridade, já que nesse caso o próprio policial é a vítima. Por tudo isso é natural que se passe a imagem de omissão”, afirmou o diretor do departamento de polícias integradas metropolitanas, coronel João Neto. “Todos que foram detidos já estão liberados. Eles assinam um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e pagam penas alternativas. Fica muito barato. Infelizmente, a nossa legislação facilita essa sensação de impunidade”. Sem nenhuma punição prática, restaram, mais uma vez, promessas por parte das autoridades. O secretário de Defesa Social do estado, Alessandro Carvalho, afirmou que pretende se encontrar com representantes do Juizado do Torcedor e do Ministério Público para apontar quais são as melhores ações contra a violência. Teoria e pouca prática. “Hoje um torcedor comete um crime e em alguns casos é proibido de frequentar os estádios. Só que não há o controle”, reconheceu. Os vândalos agradecem. Números da impunidade 10 pessoas detidas e levadas para a central de plantões 1 vítima registrou ocorrência por ter o carro depredado 0 vândalo preso As cenas de selvageria promovidas pelas torcidas Jovem e Inferno Coral podem render, mais uma vez, punição a Sport e Santa Cruz. Ontem, o procurador do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Fábio Paiva, revelou que o órgão deve pedir a perda de mando de campo a rubro-negros e tricolores. Este ano, os dois times sofreram essa mesma punição, na Copa do Nordeste, também por conta de confusão envolvendo as uniformizadas.

No jogo do "quem não faz, leva", Sport vence o Central e volta à liderança

Mesmo sem fazer boa partida, Leão conseguiu bater a Patativa por 2 a 0, com gols de Neto Baiano e Rodrigo Mancha
O Sport esteve longe de ser aquele time arrasador que goleou o Santa Cruz na última rodada. Entretanto, soube manter o assencial: o mesmo grau de eficiência que vem se tornando retrato fiel do time neste Campeonato Pernambucano. Ainda que pouco produtivo e sofrendo pressão em boa parte da partida, o Leão soube aproveitar as chances que teve e venceu o Central por 2 a 0, na tarde deste domingo, no estádio Luiz Lacerda, em Caruaru. Os gols foram marcados por Neto Baiano e Rodrigo Mancha, ambos no segundo tempo. Com a vitória, a equipe comandada pelo técnico Eduardo Baptista retorna à liderança do Estadual (que havia sido tomada temporariamente pelo Náutico), com 13 pontos. Voltará jogar pelo Pernambucano somente no próximo domingo, contra o Salgueiro, no Sertão. Antes, porém, a partida mais esperada: o jogo de ida pela Copa do Nordeste, contra o Santa Cruz, na Ilha do Retiro. Clássico das Multidões que promete pelo bom momento do Leão e pelo desejo coral em descontar a goeada na semana passada. O Tricolor que, diga-se, também vem com gosto de gás, reabilitado pela goleada sobre o Salgueiro por 7 a 0, neste domingo, pelo Estadual. O jogo Sob um sorte forte e um calor intenso, o primeiro tempo da partida restringiu-se a raras chances de gols. O Leão em pouco lembrava o time que goleara o Santa Cruz há poucos dias. Com Ailton sem inspiração e todo o setor do meio de campo acompanhando o ritmo dele, a única chance clara de gol rubro-negra saiu do acaso, quando a bola espirrou e Patric acabou de frente para o gol e ele mandou para fora, aos 37 minutos. Ainda que o jogo estivesse nivelado por baixo, com as duas equipes sofrendo com o calor e inspiradas somente no quesito “marcação”, a Patativa era mais disposta para ir ao ataque e esteve quase sempre mais perto de abrir o placar. Logo no primeiro minuto de jogo, Danilo Lins acertou a trave. Aos 40, Johnathan Goiano teve a melhor chance da partida, de frente para a barra, mas parou em grande defesa de Magrão. No segundo tempo, a Patativa abusou de perder gols. Seguiu melhor em campo (coincidentemente ou não), até o momento em que o sol foi embobra. Antes, perdeu uma chance atrás da outra, com Tallys, Danilo Pires e Johnathan Goiano. Chances claras de gol - vale ressaltar. Com o clima mais amênuo, o Sport cresceu. Aos 22 minutos, Wendell avançou pela esquerda, cruzou e Neto Baiano, bem ao seu estilo, jogou-se na bola e mandou para as redes. Aos 35, Rodrigo Mancha recebeu no segundo pau e mandou de cabeça para as redes. Era o gol que sacramentou a vitória rubro-negra. Ficha do jogo Central 0 André Pereira; João Paulo (Jaílton - aos 26’ do 2ºT), Héverton, Alisson e Jean Batista; Diego Teles, Fernando Pires, Danilo Pires e Tallys (Deisinho - aos 32’ do 2ºT); Danilo Lins e Edson Di (Johnathan Goiano - aos 37’ do 1ºT). Técnico: Humberto Santos Sport 2 Magrão; Patric, Ferron, Durval e Danilo; Rodrigo Mancha, Wendell (Bileu - aos 29’ do 2ºT), Ailton (Sandrinho - aos 18’ do 2ºT), Felipe Azevedo, Ananias (Bruninho - aos 12’ do 2ºT); Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista. Local: Estádio Luiz Lacerda, Caruaru. Árbitro: Emerson Sobral. Auxiliares: Marcelino Castro de Nazaré e Bruno César Chaves Vieira. Gols: Neto Baiano (aos 22’ do 2ºT) e Rodrigo Mancha (aos 35’ do 2ºT). Cartões amarelos: Central - João Paulo (aos 26’ do 1ºT) Danilo Lins (aos 46’ do 1ºT); Sport - Ferron (aos 18’ do 1ºT) e Bileu (aos 40’ do 2ºT). Público: 8.058 Renda: R$ 77.294,00.

A relação Arena/Metrô, a mãe de todos os erros em Pernambuco

A Arena Pernambuco foi lançada pelo governo do estado em 15 de janeiro de 2009, num projeto integrado a algo maior, a Cidade da Copa, uma nova centralidade urbana na zona oeste do Recife. O novo campo utilizaria de forma massiva o metrô, um modal sem conexão direta com os estádios da capital. O transporte nos trilhos seria o grande diferencial na mobilidade, com uma nova estação de metrô, a Cosme e Damião, a apenas 700 metros da arena. Pois bem. O estádio (R$ 650 milhões) e a estação (R$ 7,4 milhões) foram construídos… e a ideia inicial, tão divulgada pelo estado, acabou relegada. De forma incompreensível, a arena ficou a uma caminhada de 4,1 quilômetros do acanhado terminal de Cosme e Damião, ou 485% acima da previsão inicial. Por isso, e pela falta de integração ao Metrorec nos jogos noturnos, o formato – que utilizou bastante dinheiro público – ainda não surtiu efeito na arena. Agora, o poder público agora tenta lançar a versão de que a estação já estava prevista antes do estádio, sem uma relação direta com o projeto. No entanto, o terminal de Cosme e Damião só foi viabilizado por causa da arena, tanto que o gasto foi inserido na Matriz de Responsabilidades da Copa do Mundo. Vamos a exemplos de outros estádios de ponta, no Brasil e no exterior, nos quais o metrô é o principal modal para o transporte do público. Através do Google Maps, com o mesmo zoom, é possível notar a disparidade. No caso do estádio do Porto, a estação portuguesa fica dentro do estádio. Entre os exemplos, o mais distante foi o campo da Internazionale e do Milan, com cerca de dois quilômetros, ou metade do caminho em São Lourenço da Mata. Ou seja, em todos os estádios o trajeto entre a estação e o campo é inferior a apenas um sentido no percurso para o modelo pernambucano.

A maior goleada do Estadual devolve a confiança ao Tricolor

O baque na Ilha do Retiro havia sido considerável, logo na prévia dos clássicos pela semifinal do Nordestão. Antes disso, a Cobra Coral teria mais uma rodada pelo Estadual. Pressionado pela campanha irregular, o tricampeão pernambucano estava obrigado a vencer o Salgueiro, no Arruda. Foi bem além… Começou num primeiro tempo excepcional neste domingo. Com mais pegada, o time tricolor marcou quatro gols num adversário atordoado, bem diferente daquela equipe que vencera o Náutico na arena. O meia Carlos Alberto e o atacante Flávio Caça-Rato abriram uma boa vantagem para os corais antes dos dez minutos. CR7, que não havia balançado as redes na temporada, ainda marcou outro no primeiro tempo, de cabeça. Antes do intervalo, também de cabeça, Everton Sena guardou o seu. Baile coral, mesmo sem forçar. Àquela altura, os 11.921 torcedores já estavam satisfeitos. Mas ainda tinha jogo. No segundo tempo, o time de Vica voltou mais compacto, guardando as energias. Porém, não abriu mão do ataque. E a história, que já parecia escrita, ganhou o seu personagem principal, Léo Gamalho. Principal atacante do clube até aqui, o jogador marcou três vezes. Com a goleada por 7 x 0, a maior da história do confronto contra os sertanejos, o Santa Cruz voltou ao G4 do hexagonal do Estadual, recuperando também a confiança para as próximas e decisivas edições do Clássico das Multidões…

Após vitória, Lisca elogia Carmona e cobra torcida: "Não adianta ficar vaiando"

Treinador alvirrubro afirmou que conta com o apoio do torcedor timbu, que, segundo ele, não tem "contribuído"
Com o time novamente líder do Campeonato Pernambucano (pelo menos temporariamente), o técnico Lisca teve duas posturas diferentes durante a entrevista coletiva, após goleada sobre o Porto por 4 a 1, neste sábado. Primeiro, o treinador rasgou elogios ao meio-campista Pedro Carmona, que marcou três gols na partida. Logo em seguida, cobrou mais apoio da torcida alvirrubra nos jogos na Arena Pernambuco. “Pedro Carmona é atacante, tem que ter mais leiutura tática. Ele fez três gols importantes em uma partida difícil, em um campo quente e saímos perdendo, após novamente entrarmos desatentos. Mas a equipe teve maturidade para virar o jogo no primeiro tempo e acabamos fazendo a vitória nos erros do Porto. Uma vitória importante, que nos deixa bem posicionados na tabela e mais pertos da classificação”, disse Lisca. Pouco depois, o treinador alvirrubro falou em teor de cobrança, direcionando um apelo à torcida timbu. “Clamo que a torcida esqueça do passado e pense daqui para frente. Não é só apoiar quando o time está bem, mas também quando o time está em dificuldade. Não adianta ficar vaiando quando o time mais precisar. Temos um grupo humildade em mãos, mas que chegou para jogar contra o Salgueiro em primeiro lugar com 1.500 pessoas na Arena”, criticou. “Não é só vibrar ganhando. Tem que ajudar perdendo também. É pensar daqui para frente e se ajudar. O time precisa muito da ajuda do torcedor do Náutico”, acrescentou Lisca. O Timbu volta a campo agora no meio da semana, para enfrentar o Sergipe, pela Copa do Brasil. O treinador não revelou se utilizará time misto ou não na partida. O elenco alvirrubro está de folga neste domingo e voltará aos trabalhos na manhã da segunda-feira.

Escola de samba do Rio provoca Flamengo e ganha a torcida do Sport

Mocidade Independente de Padre Miguel teve Pernambuco como tema e integrantes vestiram a camisa do Leão com o número 87 para reacender polêmica
O desfile da Mocidade Independente de Padre Miguel, que tinha Pernambuco como tema, acabou tornando-se o assunto mais discutido nas redes sociais do país na noite desta segunda-feira. O motivo: uma homenagem (ou provocação?) dos diretores de harmonia da escola, que cruzaram a Sapucaí utilizando camisas do Sport com o número 87 - numa referência direta ao títulos brasileiro de 1987. Em entrevista ao Globo.com, um dos integrantes da Escola, confessou que, além de uma homenagem a Fernando Pinto (carnavalesco fanático pelo Sport), era sim uma provocação à rival Imperatriz Leopoldinense, que homenageia Zico esta noite. As hashtags #CaiMocidade e #SalveMocidade dividiram o Twitter. A escola passou a ser a "inimiga número 1" dos rubro-negros cariocas e, claro, caiu nas graças dos rubro-negros pernambucanos. O perfil oficial do Sport Club do Recife, inclusive, entrou na onda: "#SalveMocidade, Sport campeão brasileiro de 1987".

Zona Mista, um novo espaço na arena para a reeducação das torcidas

Uma das novidades estruturais da Arena Pernambuco é a diversidade de setores. A opção de ingresso não é restrita ao assento, no cimento, cadeira ou camarote. Se passa pelos serviços oferecidos, como lounge e bares exclusivos. Esses novos ingressos apresentam valores acima dos preços comuns no Recife. O assento premium, por exemplo, custa R$ 120. No jogo Náutico x Porto, domingo, dos mil bilhetes disponíveis, apenas um foi vendido no setor. No Clássico dos Clássicos na quinta-feira, na partida adiada da primeira rodada do Estadual, o número de ingressos comercializados foi bem maior E aí há um outro aspecto sobre esse setor diferenciado, pois trata-se de uma “zona mista”. Torcidas rivais sentadas lado a lado, como foi um dia num passado já quase distante. Hoje, o Maracanã e a Fonte Nova também contam com setores do tipo. Porém, alvirrubros e rubro-negros chegaram a bater boca durante a partida. Trabalho extra para os stewards, os seguranças treinados da arena. Pela estrutura pernambucana, com cada grande clube tendo seu estádio, a medida nunca foi popular. Por isso, é preciso um plano de reeducação e respeito para que a ideia da zona mista não só continue como se torne comum. Provavelmente, a mudança cultural não será rápida. Mas é necessária…

Capitão Puyol anuncia que sairá do Barcelona no fim desta temporada

Jogador rescindirá contrato, mas não anunciou o que fará após 30 de junho
O capitão do Barcelona, Carles Puyol, anunciou nesta terça-feira que deixará o clube catalão no final da temporada 2013/2014 do futebol europeu. O zagueiro, de 35 anos, atuou em toda a sua carreira pelo atual campeão espanhol, clube em que fez a sua estreia em 1999. Porém, foi titular em apenas 12 partidas nesta temporada, em que vem batalhando com as lesões no joelho. "Comunico que ao final da temporada deixarei de ser jogador do Barcelona. Em acordo com o clube, rescindiremos o contrato e deixaremos sem efeito os dois anos que tínhamos", disse Puyol, nesta terça-feira. "Depois das duas últimas operações tão agressivas, é difícil recuperar o nível que necessito para estar aqui. É por isso que tomei essa decisão". Puyol foi uma figura fundamental nos recentes triunfos tanto do Barcelona como da Espanha. Com a seleção, ganhou a Copa do Mundo de 2010 e as duas últimas edições da Eurocopa. Enquanto ajudava a Espanha a atingir o topo do futebol mundial, o zagueiro também fez história no Barcelona, num período em que o clube catalão conquistou 21 títulos, entre eles três Ligas dos Campeões. "Não me vou hoje, faltam três meses de campeonato onde os que me conhecem sabem que não baixarei os braços, seguirei trabalhando até o final para ajudar a equipe a conseguir seus objetivos", afirmou o zagueiro. "Não sei o que farei depois de 30 de junho, mas preciso descansar. Levo quatro anos sem parar por causa das lesões, depois veremos o que acontece", completou Puyol, que apenas fez o seu comunicado e não respondeu perguntas nesta terça-feira.

Lisca comanda treino de finalização no CT Wilson Campos

Visando ao Salgueiro, técnico do Náutico comandou movimentação neste domingo de Carnaval, que ainda contou com um trabalho técnico-tático

Motivados depois da vitória no Clássico dos Clássicos, o time do Náutico voltou a trabalhar na manhã deste domingo, no CT Wilson Campos. Os alvirrubros não param no período de folia. Treinaram no sábado pela manhã e na terça já retornam às atividades, também no período matinal. Toda essa carga porque na quarta-feira já vai ter jogo válido pelo Campeonato Pernambucano. Às 22h, o Timbu receberá o Salgueiro na Arena Pernambuco. A missão é vencer para se manter firme na liderança da competição estadual. De olho no duelo diante do Carcará, o técnico Lisca comandou duas atividades principais. A primeira delas consistia em um trabalho de finalização, de ataque contra defesa. Em seguida, o treinador alvirrubro ainda teve tempo para realizar uma movimentação técnico-tática com os seus comandados. Na ocasião, fundamentos como aproximação, criação e aproveitamento de jogadas foram trabalhadas pelo técnico.

Natan segue vetado e não vai poder jogar o clássico contra o Sport

Meia está realizando fisioterapia e musculação no Santa Cruz para recuperar-se totalmente de uma lesão na coxa direita

O histórico de lesões de Natan já é conhecido. Já soa até repetitivo qualquer tipo notícia veiculada sobre as suas contusões. O último problema clínico que afligiu o meio-campista do Santa Cruz foi referente à musculatura da coxa direita. O jogador desfalcou o time tricolor nos três últimos jogos. Não vai desta vez que o atleta retornará aos gramados. Não vai poder atuar no clássico contra o Sport, na próxima quinta-feira, na Ilha do Retiro. Segundo informações repassada pela assessoria do clube coral, Natan, liberado pelo menos do departamento médico do Arruda, "segue fazendo trabalhos específicos com fisioterapeutas, além de musculação". O meia quer, no mínimo, um 2014 melhor que o ano passado. Embora tenha feito 34 jogos em 2013, algo até então inédito na sua carreira, Natan também teve que permanecer mais de dois meses parado. Sessenta e sete dias afastaram o jogador das atividades.

Ansioso para voltar, Pedra relata período que está sem jogar por causa de lesão

Volante do Sport ainda recupera-se de uma contusão no joelho esquerdo, sofrida no fim do ano passado

Em 7 de novembro do ano passado, Anderson Pedra sofreu um duro golpe. Titular do Sport e respaldado pelo então técnico Geninho e pela torcida, o volante acabou rompendo o ligamento anterior do joelho esquerdo em um treino, na Ilha do Retiro. A previsão é que ele só jogue novamente depois de sete meses. Hoje, porém, ele está na fase final do seu tratamento. Está otimista em um retorno breve. Ansioso para entrar em campo de novo, o cabeça de área leonino relata o período que está parado. Fala que tenta a cada dia sanar os males causados pela lesão, tanto os físicos como os psicológicos. "(A contusão) é um problema grave e, por isso, bastante dolorido. Mas acho que a parte mais complicada é conviver com o que se passa na nossa cabeça. A ansiedade para voltar é grande. Minha família tem sido essencial. Encontro apoio nela. Claro, contando também com os profissionais que fazem o meu tratamento no Sport", contou Pedra. Com o seu retorno aos gramados previsto para junho, o atleta não esconde a vontade de voltar a jogar. "Quero retornar dando motivos para a torcida rubro-negra seguir acreditando cada vez mais no meu potencial. Dedicação não vai faltar, isso eu posso assegurar", garante. Cada degrau para a recuperação de Anderson Pedra, por sinal, é comemorado pelo fisioterapeuta do clube, Jairo Evangelista. O profissional rasga elogios ao condicionamento físico do jogador e prevê a sua volta."Anderson tem uma parte física avantajada, por isso vem progredindo rapidamente em sua recuperação. Além disso, ele é um atleta de fácil convivência, o que facilita bastante o nosso trabalho".

Massa diz que testes devolveram confiança à Williams

Felipe Massa foi o principal destaque da primeira bateria de testes coletivos de pré-temporada da Fórmula 1, realizados na semana passada, em Jerez de la Frontera. Ele foi vice-líder do penúltimo dia de treinos e depois fechou os trabalhos na pista espanhola com a primeira posição, na sexta-feira. Os bons resultados agora fazem o piloto brasileiro admitir que a Williams reconquistou a confiança, que estava em baixa depois do péssimo campeonato da equipe em 2013, no qual o finlandês Valtteri Bottas e o venezuelano Pastor Maldonado somaram míseros cinco pontos ao total. O desempenho ruim fez a escuderia inglesa fechar o Mundial de Construtores na nona posição, apenas à frente das nanicas Marussia e Caterham, que não pontuaram. Neste ano, porém, a equipe baseada em Grove exibiu força logo de cara nos primeiros testes coletivos de 2014, pois Bottas, agora companheiro de time de Massa, também foi terceiro colocado nos dois dias iniciais de treinos em Jerez. "Estes testes deram mais confiança para os pilotos, para mim, para Valtteri, mas também para as pessoas (da equipe). Acho que as pessoas estão mais felizes. Há um sorriso no meu rosto, mas não apenas no meu rosto. Você pode ver as pessoas sorrindo por dentro - isso inclui os mecânicos e engenheiros", disse o piloto brasileiro, em entrevista ao site da revista Autosport, publicada nesta terça-feira. Após deixar a Ferrari para dar lugar ao finlandês Kimi Raikkonen e dar rápida resposta como substituto de Maldonado, Massa admitiu, porém, que não dá para comemorar de forma efusiva os bons resultados nos primeiros testes do ano em Jerez, tendo em vista a imprevisibilidade do campeonato deste ano. Em 2014 a categoria ganhou um novo regulamento técnico, cuja mudança mais destacada foi a troca dos motores V8 aspirados pelos V6 turbo, e o cenário de forças da categoria ainda não está claro. "Há definitivamente ainda muito trabalho a ser feito e muitos dias pela frente até a primeira corrida, então é muito cedo. Não podemos esquecer que este foi apenas um teste. E eu acho que talvez este teste é ainda mais difícil de explicar comparado ao do ano passado porque as regras eram as mesmas (em relação a 2012), e agora há uma grande mudança", ressaltou o brasileiro, que depois enfatizou: "Tudo pode mudar, tudo pode mudar em poucos dias, mas estou feliz com o que encontrei dentro da equipe. É melhor do que eu esperava". O Mundial de F1 de 2014 terá a sua primeira corrida em 16 de março, em Melbourne, palco do GP da Austrália. Antes disso, pilotos e equipes participarão de mais duas baterias de testes coletivos, ambas marcadas para ocorrer no Bahrein, primeiro entre os próximos dias 19 e 22 e depois entre 27 de fevereiro e 2 de março.

Após "não" de Jorginho, diretoria do Sport se reúne em busca de "plano B

Gustavo Dubeux e toda a cúpula rubro-negra ainda estão discutindo novos nomes para comandar o Leão

Sem tempo para comemorações, um dia após a vitória sobre o Náutico, a diretoria do Sport voltou a se reunir, na tarde desta segunda-feira, na Ilha do Retiro. Em pauta, discussão sobre os possíveis nomes para comandar o Leão na temporada 2014, substituindo o recém-demitido técnico Geninho. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Gustavo Dubeux, a situação ainda está totalmente em aberto. Neste domingo, o Sport recebeu o primeiro “não” do técnico Jorginho (ex-Ponte Preta). O treinador chegou a acertas as bases salariais com o Leão, mas acabou desistindo. “Ele afirmou que teve as melhores referencias do Sport, mas nos deu satisfação dizendo que está com problemas familiares e que não poderia se ausentar do Rio de janeiro agora”, afirmou Dubeux. Ao lado do executivo de futebol, Nei Pandolfo, e do vice-presidente de futebol, Sérgio Kano, Dubeux voltou ao debate nesta tarde. “Vamos ter essa reunião e ver as opções”, pontuou o presidente do Deliberativo, sem querer confirmar possível sondagens, como ao nome do treinador Caio Júnior, por exemplo. “São especulações”, resumiu. Questionado sobre a possibilidade de manter o técnico interino, Eduardo Batista, Gustavo Dubeux não foi enfático. Evitou dizer que não nem que sim. “Ele está como interino e enquanto não tiver outro nome, é o treinador”, pontuou

Há 100 anos, nascia o Santa Cruz, tricolor pernambucano que faz alegria das multidões

Há 100 anos, 11 garotos do Recife, que jogavam futebol em frente à Igreja de Santa Cruz, no distrito da Boa Vista, criavam um dos maiores clubes do Nordeste e do Brasil. Com as cores branco e preto, depois o Santa Cruz adotou o vermelho e se tornou, assim, o time tricolor pernambucano.
O clube do povo foi criado com o intuito de acolher o torcedor humilde. Os negros, que até então não podiam jogar em times pioneiros do futebol pernambucano, encontraram um lugar no Santa Cruz.